.arquivos

. Fevereiro 2010

. Outubro 2009

. Agosto 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008


Quinta-feira, 4 de Dezembro de 2008

O beijo

O BEIJO acaba ocupando entre os casais um lugar que ganha importancia num primeiro momento, mas nem sempre continuado na continuidade do relacionamento. Um contato íntimo que embora muito desejado e utilizado entre os casais, nem sempre recebe o devido valor, de tão simples e óbvio, o BEIJO acaba ocupando entre os casais um lugar que ganha importancia num primeiro momento, mas nem sempre continuado na continuidade do relacionamento.

   Não é tão incomum, declarações de que agora, nem me beija mais. É a rotina do relacionamento que muitas vezes delimita o beijo, quando não o exclui, prejudicando a continuedade da intimidade e do amor. Lembar que o beijo continua tendo o poder de reviver a plena intimidade.

   Podemos dizer que o beijo é um tipo de carícia primária, no mais primitivo dos sentidos humanos. Quando o bebê está sendo formado no útero da mãe, a capacidade de reagair a toques, aparece muito antes do que os olhos percebam a luz ou ainda que os ouvidos possam reagir aos sons. Pegar o bebe no colo, beijá-lo, sentindo o tato e o sabor de sua pele, não é apenas uma primeira forma de comunicação e interação entre as pessoas, mas principalmente o início do desenvolvimento das relações interpessoais. Se a criança não recebe carinhos e carícias, pode ter comprometido no futuro seu relacionamento afetivo e sexual. É este beijo em sua essência de afeto que perpetuamos em nosso relacionamento com nossos pais, o beijo de carinho de afeto de cuidado.

   O beijo aparece constantemente nesta troca de experiência e de acariciamento, trazendo uma sensação de bem estar, tanto para quem dá, quando para quem recebe. Daí iniciamos nossa trajetória afetiva, e o beijo passando a ocupar um lugar de destaque em nossa vida e em nossos comprometimentos afetivo-sexuais. A estimulação sentida pelas carícias e pelo beijo, são mais do que técnica para um possível relacionamento sexual, são a introdução da introdução, dos recursos eróticos que desde muito cedo aprendemos a explorar. A mucosa da boca, com sua enervação, possibilita uma troca objetiva de calor, sabor e outras sensações, que aguçam assim a excitação. Uma ligação imediata é criada entre os sentidos.

   O sexo assim facilmente cria a estimulação que poderá levar ao encontro sexual. As carícias alimentadas pelo beijo, criam uma atmosfera que estimula a intimidade, numa clara volta a experiência infantil, experiência esta, que nunca será esquecida. Um registro mágico revivido na consciência do desejo. Sem falar que o beijo é a mais pura demonstração de afeto, amplamente vivido pela sociedade, aceito e incentivado pelas mais diversas formas de contato, carinho e aceitação.

   O beijo é o código, que pode tanto revelar o carinho, o afeto, o amor, ou até mesmo trazer escondido a traição, como "o beijo de Judas". É o beijo que sintetiza o carinho, o respeito, o amor e a paixão. São os mais diversos tipos que beijo que podemos observar, desde o despretencioso no rosto, o respeitoso na testa, o submisso beijo nas mãos, até os beijos mais calorosos recheados de muita erotização e sentimentos de entrega afetiva e sexual.

   O beijo como atitude que revela o poder humano de se comunicar, transformado na poesia que os poetas sempre enalteceram. A simbologia dos lábios que beijam nos remete sempre a uma sensação de conforto, devoção e prazer. A atividade sexual fica comprometida se não encontra no beijo seu referencial de entrega e expressão de desejo. Não é a toa que as prostitutas que se entregam ao sexo, se negam ao beijo, num claro referencial ao limite da relação.

   Infelizmente, muitas vezes os jovens acabam perdendo o sentido do beijo em suas competições de quem beija mais, embora pareça que isso por si só, seja uma conquista, tememos que possa ser uma banalização de seu real sentido. Felizmente depois concluem que uma boca só é suficiente para a expressão mais pura do verdadeiro sentido do amor, o beijo como demosntração de um amor exclusivo.

   A quantidade de terminações nervosas presentes no beijo, fazem com que seja fonte de muitas sensações prazerosas e eróticas, que se propagam e contagiam todas as sensações sexuais. Por isso o beijo é tão gostoso e tão importante a todos nós.

 


publicado por J. às 14:50

link do post | comentar | favorito

.posts recentes

. O beijo

. Desejo vermelho

. Banho de bruma

. Ligações secretas

. Mulher

. Pára! Não, ainda não...

. Confissão

. Doçura

. Strip-tease

. Desejo e prazer

. Senhor das minhas noites....

. Uma só razão

. Eu não te disse nada

. Sem garras

. Sonho

. Sofrimento...

. Corpo

. Amor livre

. Emoções

. Mulher só

. Amor ausente

. Estou só

. Acordar contigo

. Sentir-me viva?

. Momento erótico

. Espero-te aqui

.Fevereiro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28


.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds